Teatro Popular de Ilhéus apresenta espetáculo em Escola Cultural de Itabuna

O grupo Teatro Popular de Ilhéus (TPI) apresenta o espetáculo ‘Teodorico Majestade – As últimas horas de um prefeito’, neste sábado (23), às 16h30min, no Colégio Modelo Luis Eduardo Magalhães, em Itabuna no Sul do Estado. A entrada é gratuita. A apresentação visa promover o projeto Escolas Culturais, desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio das secretarias de Educação, de Justiça e de Cultura, através da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult).

Em Teodorico Majestade, uma sátira política em linguagem de cordel, um prefeito beberrão e corrupto da fictícia cidade de Ilha Bela, está prestes a ser expulso do cargo pela população. Na tentativa de se livrar das acusações, o prefeito negocia sua permanência no cargo. O conteúdo inusitado das conversas vem garantindo o riso da platéia desde o lançamento do espetáculo há 10 anos.

A montagem já foi encenada em diversas cidades da Bahia, incluindo Salvador, além de outras capitais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Maceió. Mais que distrair as pessoas com as situações divertidas envolvendo o prefeito, o espetáculo pode estimular o pensamento sobre a necessidade de tornar este tipo de político uma exceção e não a regra no país.

Escolas Culturais – A proposta entende a escola como centro de formação social, cultural e profissional e se propõe a fortalecer valores de cidadania a fim de proteger crianças e jovens dos efeitos da violência, da desinformação e, principalmente, da falta de perspectivas de vida. O projeto Escolas Culturais utiliza-se das mais diversas linguagens artísticas para estabelecer contato com cada um dos estudantes das escolas públicas da rede estadual. Para viabilizar o projeto, está em curso a elaboração de um aditivo do contrato de gestão entre o IASPM, instituto responsável pela gestão da orquestra infanto-juvenil Neojibá, e a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social.

O Teatro Popular de Ilhéus é apoiado financeiramente pelo Programa Ações Continuadas a Instituições Culturais, iniciativa da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) através do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). As atividades do grupo e do espaço cultural que administra (Tenda) podem ser conferidas no site http://www.teatropopulardeilheus.com.br.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: http://www.cultura.ba.gov.br

Serviço

Grupo Teatro Popular de Ilhéus
Teodorico Majestade – As últimas horas de um prefeito
Quando:
 sábado, 23 de setembro, 16h30
Local: Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães – Itabuna
Ingresso: gratuitoTeodorico-Majestade-foto-Karoline-Vital-1

Anúncios

Jorge Portugal e Roberto Mendes levam o Violão e a Palavra para Escola Cultural de Itabuna

niverbiblio

 

O secretário de Cultura da Bahia, Jorge Portugal, apresenta com o cantor e compositor Roberto Mendes o projeto ‘O violão e a palavra’, neste sábado, dia 16, às 19 horas, no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna. A apresentação faz parte do projeto Escolas Culturais, desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio das secretarias de Educação, de Cultura e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social.

A música e a palavra estarão juntas no encontro em que o violão se une à poesia para mostrar a força da arte e da comunicação. A ‘palavra cantada’ mistura recital com músicas provocando o processo criativo dos dois artistas baianos. O acesso ao público de Itabuna será gratuito. O projeto tem como objetivo reunir pessoas que apreciam uma conversa animada. Os temas têm como guia a relação da palavra com a música.

Além de cantor e compositor, Roberto Mendes também é pesquisador de chula e samba de roda do Recôncavo. Jorge Portugal, secretário de Cultura do Estado, professor de português e literatura, também é reconhecido por seu talento para a poesia.

A expectativa é de um encontro de cultura e arte para quem curte literatura e música. Um espetáculo de gênero híbrido, que pode variar entre o debate e a aula-show, a depender do efeito do encontro de Mendes e Portugal com o público. O projeto pode contribuir para reduzir os efeitos das dificuldades de leitura e interpretação de textos. O objetivo é sensibilizar o público em geral e a população jovem para a importância do bom texto na formação do cidadão.

O “Violão e a Palavra” está bem de acordo com os princípios do projeto ‘Escolas Culturais’, cuja finalidade é fomentar ações que promovam experiências em cultura dentro das unidades da rede pública de ensino. A proposta entende a escola como centro de formação social, cultural e profissional e se propõe a fortalecer valores de cidadania a fim de proteger crianças e jovens dos efeitos da violência, da desinformação e, principalmente, da falta de perspectivas de vida.

Escolas Culturais – o projeto Escolas Culturais tem a proposta de fortalecer e dinamizar as escolas, por meio da cultura, em benefício da comunidade. O lançamento aconteceu no dia 27 de julho, em Itabuna, e foi marcado por uma grande festa, realizada no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, a primeira unidade de ensino a receber a iniciativa, que chegará, inicialmente, a 85 escolas, localizadas em 85 municípios de todos os Territórios de Identidade. As Escolas Culturais vão oferecer atividades nas áreas de dança, arte literária, música e audiovisual. O projeto é uma iniciativa do Governo do Estado, através das secretarias estaduais da Educação (SEC), de Cultura (SecultBA), de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS).

Projeto Escolas Culturais Apresenta: O Violão e a Palavra
Quando: 
16 de setembro, sábado, 19h
Local: Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, Itabuna – BA
Gratuito

PONTO DE CULTURA oferece cursos tecnológicos GRATUITOS

O Centro de Estudos e Assessoria Pedagógica (CEAP), através do Ponto de Cultura Escola Digital: formação para o trabalho, disponibiliza 20 vagas para cursos de iniciação tecnológica e digital: Radioweb e Iniciação à programação computacional. Voltados para jovens e demais públicos, as ações formativas são gratuitas e tem o apoio do Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura por meio do Edital 01/2014 – Pontos de Cultura da Bahia.

As ações do Ponto representam uma perspectiva profissional para os jovens a encontrarem nas tecnologias uma linguagem de interesse e possibilidades de inserção no mercado de trabalho.

Os cursos terão início no dia 25 e 26 de Setembro e as inscrições podem ser realizadas online através do endereço www.ceap.org.br

Serviço: Escola Digital – Cursos tecnológicos gratuitos: Radioweb e Iniciação à programação computacional.

Inscrições: www.ceap.org.br até 20 de setembro.

Início das aulas: 25 e 26 de setembro de 2017, Sede do CEAP (Rua Leovigildo Filgueira, 683, Garcia, Salvador-BA).

Outras informações: pedagogico@ceap.org.br ou www.ceap.org.br

Contatos: (71) 3328.3783/ 3328.3784

Oficina de Prestação de Contas reúne Pontos de Cultura em Vitória da Conquista

oficina_vc (1)

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia realizará mais uma Oficina de Prestação de Contas para Pontos de Cultura, desta vez em Vitória da Conquista, no dia 19 de setembro de 2017. A atividade acontecerá no Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima. Esta ação visa capacitar gestores dos Pontos de Cultura da Bahia na elaboração das prestações de contas dos projetos, conforme a legislação atual (Instrução Normativa do Ministério da Cultura 08/2016).

A atividade em Vitória da Conquista será a sétima oficina de formação para Ponteiros e Ponteiras de todo estado realizadas neste ano. Até o momento Salvador, Seabra, Feira de Santana, Bom Jesus da Lapa, Itabuna e Jacobina sediaram a atividade, abrangendo representantes e membros de Pontos de Cultura de 15 territórios de identidade (Bacia do Jacuípe, Bacia do Paramirim, Bacia do Rio Corrente, Bacia do Rio Grande, Chapada Diamantina, Irecê, Litoral Norte e Agreste Baiano, Litoral Sul, Metropolitano de Salvador, Piemonte da Diamantina, Portal do Sertão, Recôncavo, Sertão Produtivo, Sisal e Velho Chico). Nesta realização são esperados participantes do Sudoeste Baiano, Médio Sudoeste da Bahia, Médio Rio de Contas, Sertão Produtivo e demais interessados.

Após o momento de explanação coletiva na Oficina, os técnicos fazem atendimento individualizado aos Pontos de Cultura que manifestem interesse em apresentar e discutir as questões da gestão da sua instituição separadamente. Para solicitar atendimento individualizado.

As atividades de acompanhamento e formação aos Pontos de Cultura da Bahia são desenvolvidas pela Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura por meio da Diretoria de Cidadania Cultural. Tanto os Pontos de Cultura, como as ações de formação e acompanhamento dos gestores sociais fazem parte da Política Nacional de Cultura Viva na Bahia.

 

Serviço: Oficina de Prestação de Contas
Local: Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima (Rua Rosa Cruz, nº45, Bairro Recreio
– Vitória da Conquista, Bahia)
Quando: 19 de setembro de 2017, das 09h às 12h e 13h às 14h30
Público: Representantes e demais membros de Pontos de Cultura

Inscrições online: https://goo.gl/forms/FUDrSTFdQSsFwUaj1

Pontos de Cultura que são filarmônicas participam do desfile do Sete de Setembro

filarmonica1Os 11 Pontos de Cultura compostos por bandas filarmônicas baianas participam dos desfiles do Sete de Setembro, no feriado nacional desta quinta-feira. Pontos de Cultura são grupos, coletivos e entidades de natureza ou finalidade cultural que desenvolvem e articulam atividades culturais em suas comunidades e em redes, reconhecidos e certificados pelo Ministério da Cultura por meio dos instrumentos da Política Nacional de Cultura Viva, recebendo apoio institucional, técnico e financeiro do Governo do Estado e do Governo Federal. Na Bahia, são 270 Pontos de Cultura, dos quais  11 são filarmônicas.

Historicamente, as orquestras filarmônicas eram associações que beiravam a informalidade, sendo compostas por músicos autodidatas e outras pessoas amantes das artes e com conhecimento mínimo da execução de instrumentos de sopro. Dessa forma, nos municípios e lugarejos mais afastados das metrópoles, as filarmônicas as principais escolas de iniciação musical. Por meio delas, crianças e jovens aprendiam técnicas de execução e até de reparo de aparelhos musicais.   Com o tempo, as antigas filarmônicas foram conquistando espaço e reconhecimento como instância cultural e educativa, capaz de formar artistas e públicos altamente capacitados para a vida cultural.

Um dos principais desafios das filarmônicas baianas era a aquisição dos instrumentos, seguido da remuneração  dos mestres, transporte e logística para a manutenção das bandas que chegam a ter mais de 100 membros. Os custos para apresentação e intercâmbio na capital, por exemplo, eram altíssimos.   Em reconhecimento à importância histórica das filarmônicas, a  SECULT, por meio da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), lançou  uma plataforma digital onde as filarmônicas apresentam seus perfis, disponibilizam suas agendas e interagem com outras instituições, em dimensão planetária. Essa ação ocorreu no mesmo ato de entrega das chaves da nova sede da Federação das Filarmônicas do Estado da Bahia, na Ladeira do Carmo, número 10, em Salvador.

No aspecto do apoio institucional e financeiro, a SECULT apóia 11 Pontos de Cultura que são também filarmônicas. O superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult), Sandro Magalhães, destacou a resistência das bandas filarmônicas representadas nos Pontos de Cultura. Para Sandro, “não pode existir política de música sem valorizar o esforço de todos os músicos e maestros das bandas filarmônicas”.

Entre os Pontos de Cultura beneficiados pelo site e pela sede das Filarmônicas do Estado da Bahia está a Associação Comunitária Filarmônica de Maracás. Já em Wenceslau Guimarães, a Associação Filarmônica Amigos da Música vai poder divulgar o ecletismo de sua proposta, capaz de incluir repertórios do frevo e samba à música clássica voltada para jovens em situação de risco. O Ponto de Cultura de Itiúba, Associação Filarmônica e Coral Juvenil 4 de Janeiro, dará mais visibilidade ao resultado de suas oficinas para alunos da zona rural.

Na Chapada Diamantina, a Filarmônica  Juvenil Rio do Ouro, de Jacobina, aponta como um dos seus objetivos  ensinar a cultura musical, por meio de hinos cívicos a estudantes da rede pública, assim como a Sociedade Filarmônica Minerva, de Morro do Chapéu. Com a inclusão digital, a Filarmônica Lira Santo Antônio, em Caravelas, terá como divulgar o trabalho no bairro Palmeiras. “Temos cerca de 100 jovens tocando instrumentos de sopro e percussão”, informou um dos integrantes da lira, Jamilton Santana.

Também no Extremo-Sul, a Sociedade Filarmônica 2 de Janeiro, de Canavieiras, e a Sociedade Filarmônica Capitania de Ilhéos veiculam valores de cidadania em meio a seu trabalho de formação de músicos, enquanto o Ponto de Cultura da Sociedade Filarmônica Filhos de Apolo, de Santo Amaro, no Recôncavo baiano, destaca a leitura de partituras e a valorização do cancioneiro local entre outras ações. O Ponto de Cultura Sociedade Filarmônica XV de Novembro, fundada em 1916, em Miguel Calmon e a Sociedade Recreativa e Cultural Filarmônica 30 de junho, de Serrinha fortalecem a interatividade com outras filarmônicas.

filaserrinha

Vistorias para orientação de Pontos de Cultura alcançam as metas para este ano

 

Oficina Itabuna

Vistoriar 90 Pontos de Cultura e 55 municípios em 15 territórios de identidade. Esta é a meta da Secretaria de Cultura, através da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult) para este ano. As vistorias aos Pontos de Cultura fazem parte do Programa de Formação e Acompanhamento da rede de Pontos de Cultura da Bahia. A SECULT deseja vistoriar todos os Pontos da Rede até junho de 2018. De janeiro até o presente momento, já foram vistoriados 63 Pontos de Cultura, daí resultando em relatórios fotográficos e de acompanhamento, além da identificação de instituições mais vulneráveis, que receberão tratamento diferenciado.

De acordo com o Superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult), Sandro Magalhães, os 270 Pontos de Cultura da rede da Bahia foram selecionados em dois editais: o 01/2008 que selecionou 149 Pontos de Cultura e o Edital 01/2014, que selecionou 126 novos Pontos, sendo que cinco desses não celebraram a parceria. Segundo Sandro Magalhães, cada projeto pode ter até três anos de duração, recebendo R$ 60 mil por ano. “Para receber as parcelas, os pontos de cultura devem apresentar a prestação de contas dos valores já recebidos”, alerta o superintendente.

 

WhatsApp Image 2017-08-15 at 23.29.33

O gestor ressaltou que a Bahia é o único estado do Brasil que mantém uma rede de pontos de cultura tão expressiva, abrangendo várias linguagens artísticas, público alvo diversificado e alcance dos 27 territórios de identidade do Estado. O superintendente Sandro Magalhães acrescentou que a Bahia é referência nacional pelo trabalho cultural desenvolvido nas comunidades, através de grupos de fomento da cultura e da cidadania.

Entre os itens que constam do Programa de Formação e Acompanhamento da rede de Pontos de Cultura, estão as Oficinas de prestação de contas. Essa ação orienta os gestores para a execução financeira, alterações de planos de trabalho e especial atenção ao período de vigência da execução dos projetos. A presença da equipe da Diretoria de Cidadania Cultural nas localidades faz parte das ações programadas pela SECULT, mas também é uma devolutiva à comunidade cultural, que reivindica formação e acompanhamento para apoiá-la na utilização dos bens adquiridos com recursos do projeto, por exemplo.

Os utensílios, equipamentos e demais bens adquiridos com recursos da parceria precisam estar devidamente identificados, guardados em locais protegidos, e recebendo a devida manutenção, para que cumpram a finalidade social do projeto. Ainda este ano, a SECULT realizará mais uma Oficina de Prestação de Contas e , pelo menos, vistorias a 23 Pontos de Cultura – dessa vez, no Território de Vitória da Conquista.

Pontos de Cultura são instituições da sociedade civil de natureza ou finalidade cultural, que desenvolvem e articulam atividades culturais em suas comunidades e que são devidamente certificadas e cadastradas pelo MinC. Os Pontos de Cultura constituem uma das principais ferramentas da Política Nacional de Cultura Viva. Para saber mais sobre Pontos de Cultura acesse o endereço eletrônico http://www.cultura.ba.gov.br.

070

Informe sobre Relatório de Execução do Objeto

Atentem-se para as informações sobre o preenchimento do relatório de cumprimento do objeto para entregarem as suas prestações de contas.

Estamos tendo alguns erros de preenchimento, principalmente no item 8.3 do relatório, onde muitos proponentes têm copiado e colado o plano de trabalho ao invés relatar as ações objeto do projeto (oficinas/aula/curso/seminários) conforme metas e etapas do plano de trabalho; e descrito neste item informações de execução financeira, inserido notas fiscais, valores etc. Este campo é destinado APENAS PARA DESCRIÇÃO E RELATO DAS ATIVIDADES.

O não cumprimento destas orientações acarreta em diligência documental e atraso no repasse da parcela seguinte.

Fiquem atentos ao preenchimento

010203

SecultBA participa de lançamento do manifesto Quero Cultura durante reunião de dirigentes em Brasília

dirigentesesecdecultura298

A SecultBA esteve presente nos dias 28 e 29 de agosto no Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes de Cultura dos Estados, que se reuniu na capital, Brasília, para discutir os rumos da cultura do país. Durante o evento, também foi reunido pela primeira vez o Fórum dos Secretários e Gestores de Cultura das Capitais e Municípios Associados. O manifesto “Quero Cultura”, que propõe uma campanha de mobilização e traz nove pontos defendidos pelos fóruns, foi lançado na ocasião e entregue ao Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

Entre os pontos defendidos, estão a integralidade do Ministério da Cultura e o fortalecimento do diálogo do MinC com a sociedade e os fóruns nacionais de dirigentes de cultura; o fortalecimento do perfil técnico do MinC e a valorização dos servidores de carreira; a regulamentação do Sistema Nacional de Cultura; e os cumprimentos contratuais dos objetos firmados em torno dos convênios entre o MinC e os órgãos gestores de cultura no âmbito estadual e municipal. “A Bahia mantém, com muitos esforços, os principais programas de cultura em contínua atividade, exemplo disso são os Pontos de Cultura, que aqui, temos novas 126 instituições conveniadas”, destaca o superintendente de desenvolvimento territorial da cultura da Bahia, Sandro Magalhães, representante da SecultBA no evento.

“A Cultura tem papel central no desenvolvimento do País e não pode ser política secundária e complementar”, traz o manifesto assinado pelo Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes de Cultura dos Estados e o Fórum dos Secretários e Gestores de Cultura das Capitais e Municípios Associados, que defendem o fortalecimento das políticas culturais e do Ministério da Cultura (MinC). “Os dirigentes de cultura dos estados dos principais municípios brasileiros estão unidos para defender as políticas públicas de cultura. Não podemos deixar que MINC seja fragilizado”, declara Sandro Magalhães.

O evento discutiu a retomada dos convênios do MinC com estados e municípios, o fortalecimento de programas como o Cultura Viva e os Pontos de Cultura, além da campanha a ser lançada nos próximos meses, com culminância em 5 de novembro, Dia Nacional da Cultura, com uma mensagem de defesa em torno da política cultural brasileira. A ação tem o objetivo de envolver todos os municípios e ressaltar o papel estratégico da cultura para o desenvolvimento. “Escrevemos um manifesto não apenas para ser entregue ao Ministério da Cultura, mas sim um documento para a sociedade brasileira, sobretudo para as pessoas do campo artístico e cultural”, ressaltou o presidente do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes de Cultura dos Estados, Fabiano dos Santos Piúba, também secretário da Cultura do Estado do Ceará.

Outros pontos do manifesto são a consolidação das políticas de produção regionalizada de conteúdo artístico; a renovação da Lei do Audiovisual; a criação de legislação nacional alternativa à Lei 8666/1993, para promover a desburocratização dos processos de contratações artísticas e serviços culturais; o apoio ao uso das inovações trazidas pela legislação do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC – Lei 13019 de 2014) na gestão pública cultural; e o apoio ao uso das inovações trazidas pela legislação do Programa Cultura Viva.

*Com informações da Secretaria de Cultura do Ceará*

Grupo fomenta ensino lúdico na Chapada

ponto estivaEDUCAÇÃO Ponto de Cultura Metamorfose trabalha com alunos da rede pública e moradores da zona rural de Barra da Estiva

Grupo fomenta ensino lúdico na Chapada

MIRIAM HERMES (jornal A Tarde, edição de 28/8/2017)

Com cineclube infantil, dramatizações, fantoches e contação de histórias, o Ponto de Cultura Metamorfose promove entretenimento e aprendizado de forma lúdica para alunos de escolas públicas e moradores de bairros periféricos e da zona rural de Barra da Estiva (a 544 km de Salvador), na Chapada Diamantina.

Executado desde início de novembro do ano passado, o projeto se estende até novembro deste ano.

O Ponto de Cultura de Barra da Estiva é um dos 270 pontos aprovados para o estado da Bahia nas seleções de 2008 a 2014.

Nos municípios, o projeto é desenvolvido pelo grupo de teatro amador Encena Nova Geração “e uma grande equipe multidisciplinar que divide as tarefas, fazendo um trabalho filantrópico”, de acordo com a gestora do ponto de cultura, Rilma Freitas.

Ela destacou que o trabalho é itinerante e tem por metodologia o envolvimento do público-alvo com a participação nas dramatizações e debates “sempre com temas de cunho educativo, reflexivo e inclusivo”.

As próximas escolas a receberem o ponto de cultura estão instaladas em comunidades quilombolas e na zona rural.

Para este projeto, o grupo selecionou com os participantes de cada localidade os assuntos de meio ambiente, folclore e trânsito para trabalhar prioritariamente. “Percebemos grandes mudanças principalmente nas crianças e adolescentes que muitas vezes vivem realidades muito duras no seu dia a dia”, disse a psicopedagoga Elaine Caires.

ponto de cultura

Para ela, é fundamental que esse público desenvolva a capacidade de fantasiar, reconhecendo suas habilidades múltiplas que ajudam a resgatar e fortalecer a autoestima.

“Professores reafirmam a melhora no comportamento de alunos que apresentavam dificuldades de entrosamento e de expressão em sala de aula”, contou Elaine.

Ela também enfatizou que, em todas as oportunidades, os participantes são estimulados a afirmar sua cidadania, reconhecida dentro do território de identidade, através do autoconhecimento e da valorização dos grupos familiares, escolares e sociais.

O grupo de teatro amador Encena Nova Geração foi criado há cinco anos e tem uma trajetória marcada pela temática afrodescendente. Neste projeto, ele conta com a parceria de grupos culturais e entidades de Barra da Estiva e Ituaçu.

Cultura Viva

Pontos de cultura são grupos, coletivos e entidades de natureza ou finalidade cultural que fortalecem e articulam atividades diversas em suas comunidades e em redes. Têm o reconhecimento e a certificação do Ministério da Cultura, por meio da Política Nacional de Cultura Viva.

De acordo com o superintendente de Desenvolvimento Territorial de Cultura da Bahia (Sudecult), Sandro Magalhães, para obter o apoio, o grupo ou entidade deve ter, no mínimo, três anos de criação formal e de atividades comprovadamente desenvolvidas em suas localidades.

“Cada projeto pode ter até três anos de duração, recebendo R$ 60 mil por ano”, disse Magalhães, acrescentando que, para receber as parcelas do segundo e terceiro anos, os gestores dos pontos de cultura devem fazer a prestação de contas sobre os valores já recebidos.

Ele ressaltou que a Bahia é o único estado do Brasil que mantém o projeto em atividade, abrangendo em 27 Territórios de Identidade (TI).

Exemplo

“Nosso estado é referência pelo trabalho cultural desenvolvido nas comunidades, atra´ves de grupos de fomento da cultura e cidadania”, afirmou o titular da Sudecult, Sandro Magalhães.

Interesados em mais informações para elaboração dos projetos a serem desnvolvidos em sua comunidades, podem acessar a relação dos requisitos no endereço eletrônico www.cultura.ba.gov.

2408metamorfose

Ponto de cultura faz novos cidadãos contando histórias infantis em Barra da Estiva

O Ponto de Cultura Metamorfose vem promovendo atividades de contação de histórias, cineclube infantil e teatro de fantoches nas escolas públicas e bairros do município de Barra da Estiva, na Chapada Diamantina. O trabalho, iniciado neste mês de agosto, seguirá até outubro, conforme planejamento aprovado pela Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult) da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBa). Aqui, neste link, você pode obter mais informações sobre o trabalho de formação de novos cidadãos de bem utilizando-se da metodologia lúdica da contação de historinhas:  http://www.cultura.ba.gov.br/2017/08/14269/Ponto-de-cultura-em-Barra-da-Estiva-ensina-cidadania-a-criancas-em-contacao-de-historias.html

2408metamorfose